top of page
Sem título-1.png
308475244_455935769899963_7143841278663279999_n-removebg-preview.png

Unidos de Padre Miguel recebeu em sua quadra, os compositores interessados em participar da disputa de samba-enredo da agremiação.

Com o enredo “O Redentor do Sertão” desenvolvido pelos carnavalescos Edson Pereira e Lucas Milato.

 

A escola de Padre Miguel recebeu ao todo 12 obras.  Com os sambas inscritos, a escola iniciou  no dia 6 de agosto a apresentação das obras, durante a tradicional “Feijoada da UPM”. 

 

Já no dia 11 de agosto, aconteceu a primeira eliminatória do concurso.

 

A grande final está prevista para o dia 08 de setembro.  

Todos os sambas estão disponíveis na UPM TV, no YouTube.

 

Basta acessar https://www.youtube.com/c/UnidosdePadreMiguel 

Redentor do Sertão.jpeg
Unidos de Padre Miguel - Carnaval 2023
00:00 / 00:00
Unidos de Padre Miguel - Carnaval 2023
00:00 / 00:00
Unidos de Padre Miguel - Carnaval 2023
00:00 / 00:00

COMPOSITORES: Myngal, Chacal do Sax,

Alexandre Rivero, Robertinho, Maykon Rodrigues, Rafael Faustino, Gabriel Simões e Felipe Mussili

E lá vou eu

Na seca, no deserto, sol ardente

Sanfona no compasso do repente

Simbora que hoje vamos prosear

Outra vez romancear

Lá vou eu

Na luz que alumia meu sertão

Rabeca encontra o som do acordeom

Sou eu vivendo um sonho das arábias

Vi camelo no agreste, sultão cabra da peste

São 1001 noites de histórias ao luar

Romance de cavalaria

Um cangaceiro de turbante e gibão

Que vai além da imaginação

 

Em devoção vou seguindo em romaria

Meu Juazeiro é o caminho da fé

Diz Maomé: Salamaleico!

Pedindo a bênção na Meca do meu padroeiro

 

O sal da terra é o deserto desse mar

Povo valente, alma de guerreiro

O beduíno segue os passos do vaqueiro

É o oásis que enfeitiça o nosso olhar

Vem ver o sol do Saara invadindo o nordeste

O barro rachado no chão do agreste

Forró, xaxado, baião... Inshalá!

Tem pandeiro e camanjá, rastapé a noite inteira

De mãos dadas na avenida pra selar a união

E, na Mesquita de Padre Miguel, Mustafá e Lampião

 

Ê, Boi Vermelho! Chegou pra guerrear

Meu Boi Vermelho, a vitória vem de Alá!

A nossa escola não deve nada a ninguém

Respeita o povo da Vila Vintém!

COMPOSITORES: Myngal, Chacal do Sax,

Alexandre Rivero, Robertinho, Maykon Rodrigues, Rafael Faustino, Gabriel Simões e Felipe Mussili

E lá vou eu

Na seca, no deserto, sol ardente

Sanfona no compasso do repente

Simbora que hoje vamos prosear

Outra vez romancear

Lá vou eu

Na luz que alumia meu sertão

Rabeca encontra o som do acordeom

Sou eu vivendo um sonho das arábias

Vi camelo no agreste, sultão cabra da peste

São 1001 noites de histórias ao luar

Romance de cavalaria

Um cangaceiro de turbante e gibão

Que vai além da imaginação

 

Em devoção vou seguindo em romaria

Meu Juazeiro é o caminho da fé

Diz Maomé: Salamaleico!

Pedindo a bênção na Meca do meu padroeiro

 

O sal da terra é o deserto desse mar

Povo valente, alma de guerreiro

O beduíno segue os passos do vaqueiro

É o oásis que enfeitiça o nosso olhar

Vem ver o sol do Saara invadindo o nordeste

O barro rachado no chão do agreste

Forró, xaxado, baião... Inshalá!

Tem pandeiro e camanjá, rastapé a noite inteira

De mãos dadas na avenida pra selar a união

E, na Mesquita de Padre Miguel, Mustafá e Lampião

 

Ê, Boi Vermelho! Chegou pra guerrear

Meu Boi Vermelho, a vitória vem de Alá!

A nossa escola não deve nada a ninguém

Respeita o povo da Vila Vintém!

COMPOSITORES: Myngal, Chacal do Sax,

Alexandre Rivero, Robertinho, Maykon Rodrigues, Rafael Faustino, Gabriel Simões e Felipe Mussili

E lá vou eu

Na seca, no deserto, sol ardente

Sanfona no compasso do repente

Simbora que hoje vamos prosear

Outra vez romancear

Lá vou eu

Na luz que alumia meu sertão

Rabeca encontra o som do acordeom

Sou eu vivendo um sonho das arábias

Vi camelo no agreste, sultão cabra da peste

São 1001 noites de histórias ao luar

Romance de cavalaria

Um cangaceiro de turbante e gibão

Que vai além da imaginação

 

Em devoção vou seguindo em romaria

Meu Juazeiro é o caminho da fé

Diz Maomé: Salamaleico!

Pedindo a bênção na Meca do meu padroeiro

 

O sal da terra é o deserto desse mar

Povo valente, alma de guerreiro

O beduíno segue os passos do vaqueiro

É o oásis que enfeitiça o nosso olhar

Vem ver o sol do Saara invadindo o nordeste

O barro rachado no chão do agreste

Forró, xaxado, baião... Inshalá!

Tem pandeiro e camanjá, rastapé a noite inteira

De mãos dadas na avenida pra selar a união

E, na Mesquita de Padre Miguel, Mustafá e Lampião

 

Ê, Boi Vermelho! Chegou pra guerrear

Meu Boi Vermelho, a vitória vem de Alá!

A nossa escola não deve nada a ninguém

Respeita o povo da Vila Vintém!

Unidos de Padre Miguel - Carnaval 2023
00:00 / 00:00
Unidos de Padre Miguel - Carnaval 2023
00:00 / 00:00
Unidos de Padre Miguel - Carnaval 2023
00:00 / 00:00

COMPOSITORES: Myngal, Chacal do Sax,

Alexandre Rivero, Robertinho, Maykon Rodrigues, Rafael Faustino, Gabriel Simões e Felipe Mussili

E lá vou eu

Na seca, no deserto, sol ardente

Sanfona no compasso do repente

Simbora que hoje vamos prosear

Outra vez romancear

Lá vou eu

Na luz que alumia meu sertão

Rabeca encontra o som do acordeom

Sou eu vivendo um sonho das arábias

Vi camelo no agreste, sultão cabra da peste

São 1001 noites de histórias ao luar

Romance de cavalaria

Um cangaceiro de turbante e gibão

Que vai além da imaginação

 

Em devoção vou seguindo em romaria

Meu Juazeiro é o caminho da fé

Diz Maomé: Salamaleico!

Pedindo a bênção na Meca do meu padroeiro

 

O sal da terra é o deserto desse mar

Povo valente, alma de guerreiro

O beduíno segue os passos do vaqueiro

É o oásis que enfeitiça o nosso olhar

Vem ver o sol do Saara invadindo o nordeste

O barro rachado no chão do agreste

Forró, xaxado, baião... Inshalá!

Tem pandeiro e camanjá, rastapé a noite inteira

De mãos dadas na avenida pra selar a união

E, na Mesquita de Padre Miguel, Mustafá e Lampião

 

Ê, Boi Vermelho! Chegou pra guerrear

Meu Boi Vermelho, a vitória vem de Alá!

A nossa escola não deve nada a ninguém

Respeita o povo da Vila Vintém!

COMPOSITORES: Myngal, Chacal do Sax,

Alexandre Rivero, Robertinho, Maykon Rodrigues, Rafael Faustino, Gabriel Simões e Felipe Mussili

E lá vou eu

Na seca, no deserto, sol ardente

Sanfona no compasso do repente

Simbora que hoje vamos prosear

Outra vez romancear

Lá vou eu

Na luz que alumia meu sertão

Rabeca encontra o som do acordeom

Sou eu vivendo um sonho das arábias

Vi camelo no agreste, sultão cabra da peste

São 1001 noites de histórias ao luar

Romance de cavalaria

Um cangaceiro de turbante e gibão

Que vai além da imaginação

 

Em devoção vou seguindo em romaria

Meu Juazeiro é o caminho da fé

Diz Maomé: Salamaleico!

Pedindo a bênção na Meca do meu padroeiro

 

O sal da terra é o deserto desse mar

Povo valente, alma de guerreiro

O beduíno segue os passos do vaqueiro

É o oásis que enfeitiça o nosso olhar

Vem ver o sol do Saara invadindo o nordeste

O barro rachado no chão do agreste

Forró, xaxado, baião... Inshalá!

Tem pandeiro e camanjá, rastapé a noite inteira

De mãos dadas na avenida pra selar a união

E, na Mesquita de Padre Miguel, Mustafá e Lampião

 

Ê, Boi Vermelho! Chegou pra guerrear

Meu Boi Vermelho, a vitória vem de Alá!

A nossa escola não deve nada a ninguém

Respeita o povo da Vila Vintém!

COMPOSITORES: Myngal, Chacal do Sax,

Alexandre Rivero, Robertinho, Maykon Rodrigues, Rafael Faustino, Gabriel Simões e Felipe Mussili

E lá vou eu

Na seca, no deserto, sol ardente

Sanfona no compasso do repente

Simbora que hoje vamos prosear

Outra vez romancear

Lá vou eu

Na luz que alumia meu sertão

Rabeca encontra o som do acordeom

Sou eu vivendo um sonho das arábias

Vi camelo no agreste, sultão cabra da peste

São 1001 noites de histórias ao luar

Romance de cavalaria

Um cangaceiro de turbante e gibão

Que vai além da imaginação

 

Em devoção vou seguindo em romaria

Meu Juazeiro é o caminho da fé

Diz Maomé: Salamaleico!

Pedindo a bênção na Meca do meu padroeiro

 

O sal da terra é o deserto desse mar

Povo valente, alma de guerreiro

O beduíno segue os passos do vaqueiro

É o oásis que enfeitiça o nosso olhar

Vem ver o sol do Saara invadindo o nordeste

O barro rachado no chão do agreste

Forró, xaxado, baião... Inshalá!

Tem pandeiro e camanjá, rastapé a noite inteira

De mãos dadas na avenida pra selar a união

E, na Mesquita de Padre Miguel, Mustafá e Lampião

 

Ê, Boi Vermelho! Chegou pra guerrear

Meu Boi Vermelho, a vitória vem de Alá!

A nossa escola não deve nada a ninguém

Respeita o povo da Vila Vintém!

Unidos de Padre Miguel - Carnaval 2023
00:00 / 00:00
Unidos de Padre Miguel - Carnaval 2023
00:00 / 00:00
Unidos de Padre Miguel - Carnaval 2023
00:00 / 00:00

COMPOSITORES: Myngal, Chacal do Sax,

Alexandre Rivero, Robertinho, Maykon Rodrigues, Rafael Faustino, Gabriel Simões e Felipe Mussili

E lá vou eu

Na seca, no deserto, sol ardente

Sanfona no compasso do repente

Simbora que hoje vamos prosear

Outra vez romancear

Lá vou eu

Na luz que alumia meu sertão

Rabeca encontra o som do acordeom

Sou eu vivendo um sonho das arábias

Vi camelo no agreste, sultão cabra da peste

São 1001 noites de histórias ao luar

Romance de cavalaria

Um cangaceiro de turbante e gibão

Que vai além da imaginação

 

Em devoção vou seguindo em romaria

Meu Juazeiro é o caminho da fé

Diz Maomé: Salamaleico!

Pedindo a bênção na Meca do meu padroeiro

 

O sal da terra é o deserto desse mar

Povo valente, alma de guerreiro

O beduíno segue os passos do vaqueiro

É o oásis que enfeitiça o nosso olhar

Vem ver o sol do Saara invadindo o nordeste

O barro rachado no chão do agreste

Forró, xaxado, baião... Inshalá!

Tem pandeiro e camanjá, rastapé a noite inteira

De mãos dadas na avenida pra selar a união

E, na Mesquita de Padre Miguel, Mustafá e Lampião

 

Ê, Boi Vermelho! Chegou pra guerrear

Meu Boi Vermelho, a vitória vem de Alá!

A nossa escola não deve nada a ninguém

Respeita o povo da Vila Vintém!

COMPOSITORES: Myngal, Chacal do Sax,

Alexandre Rivero, Robertinho, Maykon Rodrigues, Rafael Faustino, Gabriel Simões e Felipe Mussili

E lá vou eu

Na seca, no deserto, sol ardente

Sanfona no compasso do repente

Simbora que hoje vamos prosear

Outra vez romancear

Lá vou eu

Na luz que alumia meu sertão

Rabeca encontra o som do acordeom

Sou eu vivendo um sonho das arábias

Vi camelo no agreste, sultão cabra da peste

São 1001 noites de histórias ao luar

Romance de cavalaria

Um cangaceiro de turbante e gibão

Que vai além da imaginação

 

Em devoção vou seguindo em romaria

Meu Juazeiro é o caminho da fé

Diz Maomé: Salamaleico!

Pedindo a bênção na Meca do meu padroeiro

 

O sal da terra é o deserto desse mar

Povo valente, alma de guerreiro

O beduíno segue os passos do vaqueiro

É o oásis que enfeitiça o nosso olhar

Vem ver o sol do Saara invadindo o nordeste

O barro rachado no chão do agreste

Forró, xaxado, baião... Inshalá!

Tem pandeiro e camanjá, rastapé a noite inteira

De mãos dadas na avenida pra selar a união

E, na Mesquita de Padre Miguel, Mustafá e Lampião

 

Ê, Boi Vermelho! Chegou pra guerrear

Meu Boi Vermelho, a vitória vem de Alá!

A nossa escola não deve nada a ninguém

Respeita o povo da Vila Vintém!

COMPOSITORES: Myngal, Chacal do Sax,

Alexandre Rivero, Robertinho, Maykon Rodrigues, Rafael Faustino, Gabriel Simões e Felipe Mussili

E lá vou eu

Na seca, no deserto, sol ardente

Sanfona no compasso do repente

Simbora que hoje vamos prosear

Outra vez romancear

Lá vou eu

Na luz que alumia meu sertão

Rabeca encontra o som do acordeom

Sou eu vivendo um sonho das arábias

Vi camelo no agreste, sultão cabra da peste

São 1001 noites de histórias ao luar

Romance de cavalaria

Um cangaceiro de turbante e gibão

Que vai além da imaginação

 

Em devoção vou seguindo em romaria

Meu Juazeiro é o caminho da fé

Diz Maomé: Salamaleico!

Pedindo a bênção na Meca do meu padroeiro

 

O sal da terra é o deserto desse mar

Povo valente, alma de guerreiro

O beduíno segue os passos do vaqueiro

É o oásis que enfeitiça o nosso olhar

Vem ver o sol do Saara invadindo o nordeste

O barro rachado no chão do agreste

Forró, xaxado, baião... Inshalá!

Tem pandeiro e camanjá, rastapé a noite inteira

De mãos dadas na avenida pra selar a união

E, na Mesquita de Padre Miguel, Mustafá e Lampião

 

Ê, Boi Vermelho! Chegou pra guerrear

Meu Boi Vermelho, a vitória vem de Alá!

A nossa escola não deve nada a ninguém

Respeita o povo da Vila Vintém!

bottom of page